Maria Helena Nazaré
Reitora
A Universidade de Aveiro sempre considerou como responsabilidade sua, inscrevendo-a na missão, “assumir um projecto de formação global do indivíduo”. É neste contexto que tem promovido e patrocinado um programa cultural que de há muito deixou de ser mais centrado na academia para passar a ter como objectivo, o de atingir o público da região e até ter um âmbito nacional.
A UA delegou na sua Fundação, a Fundação João Jacinto de Magalhães, a organização dos “Festivais de Outono” que integram debaixo de um novo conceito e num espaço temporal diferente, que coincide com a chegada dos novos alunos, os já tradicionais FIMA e FIP.
Tenho confiança de que a FJJM saberá cumprir os objectivos, que a Universidade definiu, e que os cerca de 30 eventos que compõem o programa dos festivais tenham elevada qualidade e sejam do agrado da generalidade do público.

Direcção Artística
António Salgado, Nancy Lee Harper
Com a realização da 1ª edição dos Festivais de Outono, pretendeu-se não só dar continuidade às edições anteriores do Festival Internacional de Música de Aveiro e do Festival Internacional de Piano, como também apresentá-los segundo uma nova filosofia e um novo perfil. A filosofia de um espaço aberto à multiplicidade das iniciativas e à multidisciplinaridade dos eventos, aglomerados em torno de uma mesma temática. Nesta primeira edição, ao escolhermos a Voz como temática aglutinadora, mas não excusivista, dos Festivais de Outono, geramos a possibilidade do encontro dos dois festivais anteriores a partir da relação privilegiado destes dois instrumentos musicais: o piano e a voz. Assim, neste perfil temático, a programação agora apresentada pretende oferecer ao público aveirense uma série de concertos, por artistas de grande relevo na cena musical nacional e internacional, onde se incluem diferentes géneros musicais, procurando abranger épocas e estilos diferentes, que vão desde a música popular até à música erudita, e com particular incidência nas vertentes do Jazz, da MPB, da Ópera, da Oratória, da Música Sacra, da Canção (Lied, Chanson, Song, etc), e do Teatro Musical.
Na filosofia dos Festivais de Outono encontramos ainda espaço para inserir “outros” concertos que pretendem fazer o contraponto à “voz”. Assim, encontraremos ainda representados no âmbito dos Festivais de Outono: o orgão, os instrumentos de sopro, os espectáculos musicais e teatrais direccionados a um público mais jovem, a música contemporânea, cursos e workshops orientados por grandes professores nacionais e internacionais, conferências diversas e um colóquio sobre performance e medicina, com a participação de nomes internacionais da performance e da medicina e de docentes do Departamento de Comunicação e Arte, a que se deu o nome de Performed. Consta ainda da programação dos Festvais de Outono a estreia mundial da obra Cinco Aforismos de Eurico Carrapatoso - encomenda da Fundação João Jacinto Magalhães. Com o objectivo de envolver a cidade e a população local no âmbito das festividades programou-se o Concerto para Sete Pontes e Três Moliceiros. Desde já fica aqui o convite para a abertura dos Festivais de Outono, dia 1 de Outubro, dia mundial da música, convite para um passeio pela bela cidade de Aveiro, acompanhando os três moliceiros que, carregados de flautas, trompetes e instrumentos de percussão, viajarão através dos canais, desde a Fábrica Campos até ao Rossio, tocando diversas obras musicais, e dialogando musicalmente com bandas locais e com as vozes de dezenas de crianças e jovens aveirenses que os esperam em cada uma das pontes. Bom “Festivais de Outono”!